Hipertensão Pulmonar Tromboembólica Crônica (HPTEC)

Hipertensão Pulmonar Tromboembólica Crônica (HPTEC)  refere-se a coágulos que viajam nas veias no corpo ( embolia ) e entope as artérias nos pulmões. Uma vez alojados nas artérias pulmonares, podem causar mais formação de coágulos (trombose) e adicionar mais resistência ao fluxo sanguíneo através do pulmão.

Esta resistência aumentada dos coágulos aumenta a pressão dentro dos pulmões. O termo médico para o aumento da pressão é a hipertensão pulmonar.

 

Quais são os sintomas da HPTEC?

Falta de ar com o exercício

Desconforto no peito

Fadiga

 

Qual o tratamento para a HPTEC?

O principal tratamento para a HPTEC é a cirurgia. No entanto, 40% dos pacientes é inoperável e, até 35% deles apresenta hipertensão pulmonar persistente ou recorrente após cirurgia. A utilização de medicamentos é a melhor opção de tratamento, é a terapia indicada nesses casos onde o procedimento cirúrgico é contraindicado ou não resolve o problema.

O difícil diagnóstico, que dura em média 14 meses, é um dos desafios para tratar a HPTEC.

 

Tratamento inovador | Novidade no Brasil

Atendendo a necessidade de uma terapia eficaz para o tratamento dos casos de hipertensão pulmonar tromboembólica crônica (HPTEC), foi aprovado pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) o uso do riociguate no Brasil. Este é o primeiro e único medicamento para essa causa de hipertensão pulmonar que é inoperável, persistente ou recorrente após cirurgia. Desenvolvido pela Bayer, o tratamento está disponível em 42 países como EUA, Japão e Alemanha.

Apesar de rara e com características peculiares, se a doença for diagnosticada e tratada precocemente, é possível prevenir complicações mais graves.